• Laboratório Lebon

PREENCHIMENTO COM PMMA: 6 CURIOSIDADES SOBRE O PRODUTO

Atualizado: 2 de jun.


O PMMA, sigla para polimetilmetacrilato, é um polímero sintético totalmente biocompatível com o organismo humano. Diferentemente de outras substâncias das quais a indústria se vale, o PMMA é utilizado há mais de sete décadas em produtos de uso médico e odontológico. Neste post, o Laboratório Lebon selecionou 6 curiosidades sobre o PMMA.


1. HISTÓRIA DO PMMA NA MEDICINA

O PMMA foi descoberto no início do século XX, mais precisamente em 1902, pelo químico alemão Otto Röhm. Sua primeira aplicação no ramo da saúde foi feita em próteses dentárias, em 1936. De lá para cá, seu uso foi expandido para diversas áreas, como a ortopedia, a odontologia, a oftalmologia e a estética, sendo reconhecido pela sua qualidade e excelente biocompatibilidade com o organismo humano.


2. DIÂMETRO DAS MICROESFERAS

A partir de diversos estudos científicos, houve a constatação de que o diâmetro ideal das microesferas deve ter entre 30 e 40 micras, ou seja, grandes o bastante para não serem incorporadas aos tecidos nem pequenas demais a ponto de causarem inflamação granulomatosa (isto é, quando o organismo reage a um elemento estranho). Portanto, o ideal é que as esferas de PMMA tenham entre 30 e 40 micras, pois, assim, elas se fixam, sem o risco de serem absorvidas nem de migrarem para outras partes do corpo.


3. REGULARIZAÇÃO PELA ANVISA

Em 2007, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) regularizou o uso de PMMA em procedimentos na área da saúde. Antes, diversas farmácias podiam produzir o material, o que diminuía o seu nível de qualidade. Após a regularização, somente indústrias farmacêuticas estão autorizadas a fabricar o produto, reduzindo muito os riscos de infecção. Além disso, a Anvisa determinou formas de uso, dosagens e demais recomendações para uso profissional.


4. APROVAÇÃO PELO FDA

FDA é a sigla para Food and Drug Administration, uma agência federal do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos. O órgão aprova o uso do PMMA para fins médicos e estéticos desde 2006, sendo uma importante e internacionalmente reconhecida garantia em relação à qualidade e à segurança do produto.


5. PMMA NA MÍDIA

Diferentemente do que é divulgado na internet, o PMMA é um produto seguro e biocompatível com o organismo humano. Logo, se você se deparar com notícias ruins envolvendo o PMMA, desconfie. Provavelmente não se trata de PMMA, mas, sim, de produtos ilegais, sem registro da Anvisa, injetados em condições precárias e sem os mínimos requisitos de segurança, como o silicone industrial ou o hidrogel inferior. Além disso, é importante ressaltar que o PMMA é um material de valor elevado e que não pode ser comprado de qualquer forma, somente por profissionais de saúde registrados.


6. O ÚNICO PRODUTO COM TECNOLOGIA UMSS

De acordo com estudos científicos, O Linnea Safe é o preenchedor permanente para técnicas de bioplastia mais avançado do mercado atualmente e o único PMMA do mercado brasileiro que utiliza tecnologia UMSS, que confere às micropartículas uma superfície extremamente lisa, livre de impurezas e diâmetro exato de 40 micra, fatores que garantem segurança e melhores resultados a longo prazo, conforme a literatura científica.

Saiba mais sobre o Linnea Safe através das nossas redes sociais.

58 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo